• Hospital Municipal
  • Serviços de Emergência
  • Serviços de Diagnósticos
  • Programas
  • Saúde Mental
  • Atenção Básica
  • Ensino e Pesquisa
  • Informativo FSNH
  • Expresso E-mail
  • Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo
  • Exames laboratoriais
  • Link para Portal da Transparência de Novo Hamburgo
  • licitacon
  • ouvidoria
  • Números FSNH

Segurança do paciente depende de todos

FSNH

18/09/2019 19:00

Segurança do paciente e higienização das mãos. Aparentemente, os dois temas parecem não ter ligação, mas se conectam em todos os sentidos. E foi isso que a Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo (FSNH) mostrou nos encontros promovidos pelo Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), nesta quarta-feira (18), para enfermeiros, técnicos de enfermagem e estagiários na área da saúde.

A ideia de reunir uma equipe multidisciplinar teve um grande pretexto: o Dia Mundial de Segurança do Paciente, assinalado no calendário no dia 17 de setembro. “Hoje (quarta) esta data ganhou um destaque a mais, mas ressaltamos a importância dos cuidados com a prevenção da infecção hospitalar, principalmente a higienização das mãos, mês a mês", disse a enfermeira Cristina Manente Cruz.

E muitos recados foram reforçados nos dois encontros, um pela manhã e outro à tarde. Entre eles o de sentir na pele o "ser paciente", ou um familiar querido hospitalizado. “Nosso objetivo é o de sensibilizar a equipe de que o paciente não é só mais um”, afirma a enfermeira, acrescentando que o trabalho em conjunto resulta em qualidade dos cuidados, consequentemente em atendimento cada vez mais seguro e humanizado.

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS - Protocolos, práticas seguras e dinâmicas. A capacitação também serviu para avaliar o grau de conhecimento dos colaboradores, bem como para incentivar a busca por mais informações. “Quando se fala de protocolos de segurança, também está se falando de práticas comuns, como a higienização das mãos. Profissionais, acompanhantes e visitantes precisam adotar este procedimento, que faz toda a diferença na assistência dos usuários. Ou seja, impedindo desfechos adversos ou até mesmo óbito”, explica Cristina. A não higienização das mãos é uma das principais causas de infecção hospitalar.

Diversos temas foram abordados na capacitação, como identificação correta do paciente com o uso de pulseiras, comunicação eficaz, com o compartilhamento de informações entre as equipes, vigilância na prescrição e aplicação de medicamentos, conferências dos procedimentos, controle de infecções, prevenção de lesões por pressão e quedas. Neste ano, o tema da campanha da Organização Mundial de Saúde (OMS) é Segurança do Paciente – Uma prioridade global, sendo o slogan “Fale pela Segurança do Paciente”.

 

Recomendar esta notícia via e-mail:
  • Imprimir
  • Recomendar
  • Compartilhe
  • PDF
  • Inicial
  • Voltar
rodape rodape rodape